História

Foi de uma reunião informal num café em Lisboa, dirigida por um grupo de estudantes de várias academias de Lisboa, que surgiu o impulso inicial que conduziu à fundação da TAL, a 4 de Novembro de 1997. Com o intuito de se manter independente das várias instituições universitárias desde a sua fundação, a TAL foi, ao longo das últimas duas décadas, contando com a participação de mais de uma centena de estudantes das mais variadas instituições de ensino superior de Lisboa e dos mais diferentes cursos em diversas áreas do saber, desde medicina, ciências e engenharias até à economia, ao direito e às artes performativas.

Desde a sua primeira atuação, a 10 de Abril de 1999, no teatro S. Luiz, a TAL tem vindo a pisar inúmeros palcos de Portugal, de Norte a Sul e ilhas, não só promovendo o cantar em português mas também incluindo, nas suas atuações, música que vai desde cantos tradicionais dos vários cantos do país até à música popular e erudita internacional. Em 2005, a TAL gravou um primeiro CD, um ano após se tornar uma Associação Juvenil Sem Fins Lucrativos, e, em 2007, conquistou o prémio de melhor recriação musical na primeira edição do festival Cantar Abril, concurso dedicado à música de intervenção.

Mais recentemente, o seu reportório de caráter distinto e a consolidação da sua imagem de marca – baseada na sua musicalidade, qualidade e individualidade – permitiram ao grupo a realização da primeira edição do TAL Festival, incluída nas festas de Lisboa de 2014, bem como as primeiras apresentações fora de Portugal, nomeadamente, em 2013 em França e em 2018 na Colômbia, e ainda uma série de atuações onde partilharam o palco com coros e orquestras.

Nos últimos anos, a TAL tem evoluído no sentido de servir como um meio de aprendizagem musical tanto para os seus participantes como para os seus ouvintes, visando ter um impacto cultural positivo e significante numa cidade e num mundo que todos os dias se modificam e renovam culturalmente. Hoje, continua atuando de palco em palco, homenageando toda a música sem exceção, cantando histórias que levam do sorriso ao pranto e despertando sentimentos que, certamente, deixarão saudade no ar.